Bem vindo!

Bem vindo!

A hora... tic tac tic tac

Conte até sessenta. Eu espero. Agora até sessenta mais 59 vezes. Os números tem que ter um espaço da batida do coração. Contou?

Pois é. Isso é 1 hora. Na minha hora, que é tempo para caramba, coloco coisas sobre as outras 23. Desde movimentos a sonhos. Do preto ao branco. Do sóbrio ao bêbado. De um dente a uma banguela. Você não gasta uma hora para ver aqui...

Fala "PRA" que é mais rápido e mais bonitinho e economiza tempo!

Nessa hora,

há: braços e pernas, beijos e vertigens, flores e merda!

Lua's Moon

terça-feira, 1 de julho de 2014

(re) começar

Boas! Na monotonia imposta, (re)aparece alguém que te faz correr de novo! que te lembra quanto poder a gente tem nas mãos quando a gente vai atrás daquilo que acredita e tendo uma motivação a mais para isso. Motivação: motivo da ação, motivo para agir. Acabei relembrando o caminho de coisas que sei que preciso fazer. Meu motivo voltou. Agora será que enfim? Não sei. Apenas deixo nas mãos de Deus as soluções. O caminho eu vou começar a trilhar de novo. Não sei por quê, mas lembrei de uma frase que usei antes de um acidente: Será que terei alguma fala para hora da volta? Posso falar quantas vezes? Não sei a respeito nem da ida. Que direi da volta. Estou ansioso! E pela primeira vez, essa ansiedade é de mim. Dores de cabeça. Vem tanta coisa na telha. Será um (re)começo? Veremos!


domingo, 11 de maio de 2014

Todas elas juntas num só ser!

"Só você,
mais que tudo é só você;
só você,
as coisas mais queridas você é"



Feliz dia das mães! Frase comum e corriqueira de se falar no dia de hoje. Mas, à minha, dedico um especial. Sei que divergimos em ações e atitudes. Mas as mães (e eu incluo os pais nessa expressão também, pois era o meu que me dava de mamar), são seres colocados por Deus nas nossas vidas para cuidar de nós. A minha mãe advogada sempre procurou me defender, até eu não entendendo às vezes. Ela tá do meu lado, mesmo quando não me apoia ou briga comigo. Confesso que nas brigas às vezes dá vontade de brigar de vez. Mas o que me freia, o que me faz pensar mais são os propósitos de Deus em nossas vidas. Aí, mesmo eu discordando muito, me calo. Vejo isso por minha vó. Mesmo com seu conhecimento e sabedoria, comete deslizes, comuns da idade. E imagino o quanto passou em situações outras para educar seus filhos. E hoje, mesmo nos "rancarrabos" cotidianos brigamos, mas não abandonamos. Minha outra vó, mãe também... Não tenho desculpas para não estar perto. Mas o fato é que estou. Faltam-me até palavras. Tenho receio. Acho que a vida ensina a cada pessoa, como mãe. Não nos faz o que merecemos, mas o que de certa forma precisamos. Eu que o diga. E a vida não é feita pra ter sentido óbvio. É uma dádiva além de nossa compreensão. Eu não ajudei a fazer o mundo biológico que me cerca: mar, terra, céu, animais. Não tenho o que fazer sobre essa lei natural da vida. Mas daquilo que faço, ou do que foi feito para mim, esse é meu dever: reconhecer. Mãe importa! Apesar das brigas e chatices um do outro, convivemos, toleramos, passamos por cima de muita coisa, perdoamos e amamos.Deixo aqui então para as mães todas (de sangue, de vocação, de formalidade, de opção, das do sexo diferente da mãe convencional, das largadas, das amparadoras, das recalcadas, das de leite, das que já não podem fazer mais, ou até mesmo das que nem fizeram): força, dedicação, amparo, amor, cordialidade, temperança, persistência, fé, honestidade, carinho, afeto, sabedoria. Parabéns à você mãe!

E como não poderia faltar em um discurso meu, aí vai uma trilha sonora!
A única mulher que ama de verdade é a mãe! E elas são várias!

"Todas elas juntas num só ser"
Lenine

https://www.youtube.com/watch?v=y7KY5CO-bbA

Não canto mais Babete nem Domingas,
nem Xica nem Tereza,de Ben Jor;
nem Drão nem Flora,do baiano Gil,
nem Ana nem Luiza,do maior;
já não homenageio Januária,
Joana, Ana,Bárbara de Chico;
nem Yoko, a nipônica de Lennon,
nem a cabocla de Tinoco e de Tonico.

Nem a tigresa nem a Vera Gata
nem a branquinha de Caetano;
nem mesmo a linda flor de Luiz Gonzaga,
Rosinha, do sertão pernambucano;
Nem Risoflora,a flor de Chico Science,
nenhuma continua nos meus planos;
nem Kátia Flávia,de Fausto Fawcett;
nem Anna Júlia do Los Hermanos.

Só você,
hoje eu canto só você;
só você
que eu quero porque quero,por querer.

Não canto de Melô Pérola Negra,
de Brown e Herbert,nem uma brasileira;
De Ari, nem a baiana nem Maria,
nem a Iaiá também, nem minha faceira;
de Dorival, nem Dora nem Marina
nem a morena de Itapoã;
divina garota de Ipanema,
nem Iracema,de Adoniran.

De Jackson do Pandeiro, nem Cremilda;
de Michael Jackson, nem a Billie Jean;
de Jimi Hendrix, nem a doce Angel;
nem Ângela nem Lígia,de Jobim;
nem Lia, Lily Braun nem Beatriz,
das doze deusas de Edu e Chico;
até das trinta Leilas de Donato
e da Layla,de Clapton,eu abdico.

Só você,
canto e toco só você;
só você,
que nem você ninguém mais pode haver.

Nem a namoradinha de um amigo
e nem a amada amante de Roberto;
e nem Michelle-me-belle,do beattle Paul,
nem Isabel - Bebel - de João Gilberto;
nem B.B.,la femme de Serge Gainsbourg,
nem,de Totó, na malafemmená,
nem a Iaiá de Zeca Pagodinho,
nem a mulata mulatinha de Lalá;

e nem a carioca de Vinícius
e nem a tropicana de Alceu
e nem a escurinha de Geraldo
e nem a pastorinha de Noel
e nem a namorada de Carlinhos
e nem a superstar do Tremendão
e nem a malaguenha de Lecuona
e nem a popozuda do Tigrão.

Só você,
hoje elejo e elogio só você;
só você,
que nem você não há nem quem nem quê.

De Haroldo Lobo com Wilson Batista,
de Mário Lago e Ataulfo Alves,
não canto nem Emília nem Amélia,
nenhuma tem meus ''vivas'' e meus ''salves''!
E nem Angie, do stone Mick Jagger;
e nem Roxanne, de Sting, do Police;
e nem a mina do mamona Dinho
e nem as mina ? pá! - do mano Xiz!

Loira de Hervê,Loira do É O Tchan,
Lôra de Gabriel,o Pensador;
Laura de Mercer, Laura de Braguinha,
Laura de Daniel,o trovador;
Ana do Rei e Ana de Djavan,
Ana do outro Rei, o do Baião;
nenhuma delas hoje cantarei,
só outra reina no meu coração:

Só você,
rainha aqui é só você;
só você,
a musa dentre as musas de A a Z.

Se um dia me surgisse uma moça
dessas que, com seus dotes e seus dons,
inspira parte dos compositores
na arte das palavras e dos sons,
tal como Madallene,de Jacques Brel
ou como Madalena,de Martinho
ou Mabellene e a sixteen de Chuck Berry
ou a manequim do tímido Paulinho

ou como,de Caymmi,a moça prosa
e a musa inspiradora Doralice;
se me surgisse uma moça dessas,
confesso que eu talvez não resistisse;
mas, veja bem, meu bem, minha querida,
isso seria só por uma vez.
Uma vez só em toda a minha vida,
ou talvez duas,mas não mais que três!

Só você,
mais que tudo é só você;
só você,
as coisas mais queridas você é:

Você pra mim é o sol da minha noite,
é como a rosa luz de Pixinguinha;
é como a estrela pura aparecida,
a estrela a refulgir do Poetinha;
você,ó floré como a nuvem calma
no céu da alma de Luiz Vieira;
você é como a luz do sol da vida
de Stevie Wonder,ó minha parceira.

Você é pra mim o meu amor
crescendo como mato em campos vastos;
mais que a Gatinha pra Erasmo Carlos,
mais que a cigana pra Ronaldo Bastos,
mais que a divina dama pra Cartola,
que a domna pra Ventadorn,Bernart;
que a Honey Baby para Waly Salomão
e a Funny Valentine para Lorenz Hart!

Só você,
mais que tudo e todas,é só você;
só você
que é todas elas juntas num só ser!

Há:braços e pernas, beijos e vertigens, flores e feliz dia das mães!

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Novo horizonte é um belo horizonte, capital minha também


Janeiro De 2006

Mudar, mudar, mudar e mudar! Sem nunca emudecer-se.

Gloria

Por nada estou aqui, tentando me esconder Por sempre aparecer, fugir de mim Te pedi pra me ajudar, mas o medo me venceu Há uma pedra no caminho que me ilude ao amanhecer Chega de sonhar, esperar o que não foi Chega de viver o que você já passou Sem entender o que aconteceu Você apareceu. E agora? Uma busca tão incerta pode me prejudicar Entender que o poder não é facil comprender E assim eu vou viver sem respostas para o sol Mentindo pra mim mesmo, fugir de mim Chega de sonhar, esperar o que não foi Chega de viver o que você já passou Sem entender o que aconteceu Você apareceu. E agora? Quando eu falo sem pensar Só entendo o que eu entender, Quando eu finjo sempre estar E você sempre finge ser eu Como você ainda vai mentir? Como você ainda vai sorrir? Como pode pensar assim? Esquecendo de você Agora pense, escreva, fale tudo o que quiser falar Agora viva a liberdade de poder se expressar Chega de sonhar, esperar o que não foi Chega de viver o que você já passou Sem entender o que aconteceu Você apareceu. E agora? E agora chega de sonhar, esperar o que não foi Chega de viver o que você já passou Sem entender o que aconteceu Você apareceu. E agora? E agora? E agora? E agora?

Ois! Bem-vindos ao meu retorno "letrístico"! À volta do meu eu poético adormecido. Aliás, mantido em cativeiro, por vontade própria! Financiando o sequestro para tentativa de amenizar dores. Fugiram. Voltaram. Pararam algumas. Outras, quebraram-me. Mas enfim, volto. Dizendo ao povo não que fico, mas que recomeço um caminho novo. De um ser meta morfo constante. Um dia pensei que fiquei turrão. Turrão não, apenas um cara que age com muita fé naquilo que acredita! Reconhecem e me amam por isso, ou não. Mas enfim volto para desgosto e infelicidade daqueles que tentaram abusar da boa vontade e da fragilidade sistêmica em que eu me encontrava. Um barco sem porto sem rumo sem vela cavalo sem cela. Eu tentei colocar em meu caminho uma mensagem, mas não souberam lê-la. Ler-me. Enfim, bendita linguagem! A imagem dos textos que produzimos e lemos não são as pretendidas por nós e nem pelos outros. faz então a necessidade do conhecer e não saber simplesmente. Eu sempre soube de muita coisa. Sempre busquei conhecimentos. Vários. Porém, todavia, outrossim, não obstante: não os encontrei da forma que imaginei. A vida é simples, mas minha cabeça não; aí gera o caos. Busquei faculdade pra escrever melhor e descobri que muito desse melhor que procurava estava em mim mesmo.Busquei romances, aventuras, fantasias, mocinho-ladrão (bandido). Caricaturei-me. Nossa, gostei dessa conjugação:  ca ri ca tu rei me! Palavra gostosa, só não mais que a palavra "bunda". Enfim, busquei viver um ser antagônico: mais ou menos tipo quando o Peter Park se sente o tale a vida acabou nos mostrando que vale a pena ser simples. Buscar o cotidiano. Amar dessa vez como se fosse a última. Beijar a pessoa como se fosse a única. Fazer a construção do presente melhor. dar um presente ao seu presente. Presentear-se. Nossa, achei que não sabia mais fazer isso: escrever. E percebo que é como bicicleta sob meu corpo: tem que saber a posição dos pés, das pernas, da bunda (linda), das mãos; Tem que saber também da força aplicada, das marchas a serem trocadas conforme a pista exige. Ah! Uma das melhores coisas que aprendi foi beijar mais:. na testa, na bochecha, na boca (por que não?), no ar... Beijar não significa trair. O ósculo é divino. Beijar a vida. Tipo um "hug me" por um "kiss me"! Só sei que dá muito certo! Beijar é tocar os lábios. Com ou sem adereços. É sentir o sabor da outra coisa. É um tentar reconhecer-se. É o ver no outro qual a leitura que estão fazendo daquilo que você faz. Acredite, negativa ou positiva, você vai perceber. E aí vem: ou, não escutar a voz do povo que tende a não seguir o novo e escutar sua intuição (coração), ou, não escutar o povo e ouvir a experiência falar? Dúvida cruel! Tupi or not tupi! That is the question! A mim, sempre a voz da sabedoria, somada a voz da não-hipocrisia, foram meu norte: a verdade minha. Mas aprendi que eu tinha que conhecer a verdade que ela me libertaria. Ok. Só que sou humano, de coração questionável. Duro. Difícil. Como saber se sim ou se não? Depois ainda de ter uma carcaça corroída pelos ventos e areias e contra-tempos da vida! Só quero deixar claro uma coisa: não acostumei-me ainda com o emprego dos hifens. Erros? Corrigi-los-ei. Tá vendo: é a preocupação em saber a regra e o uso. A vida é assim. O manual, o Best Seller, temos. Mas a prática modifica. Por causa da dureza dos nossos corações. Humanos. Imperfeitos. Perdi muitos sonhos,descobri outros. Conheci, desconheci coisas e pessoas. Passei e passaram por mim. Na verdade, eles passaram, eu passarinho. Não sei, só sei que tá sendo assim. Parafrasear pessoa é humano: Olá! Bom dia! Quem eu parafraseei agora? Todo mundo! O Gabo morreu. Gosto muito dos seus escritos. Da sua forma. E sei que nem a intenção e nem a obra em si são infalíveis.Contudo: se te agradar, fino leitor, pago-me da tarefa; se te não agradar, pago-te com um piparote, e adeus. 

Há: braços e pernas, e mudança pra muita carreta!

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Sete do Sete


Boas a todos!


É complicado eu escrever aqui... Falta de tempo? Não. Preguiça? Também não... Falta de inspiração na hora de estar na frente do micro. Mas hoje é especial pra mim. Como disse minha irmã Leila É uma nova etapa de um novo ciclo que se inicia. Concordo em gênero, número e grau. Assim, De 1995 (ano do acidente) pra cá, muitas águas rolaram. Enchentes inteiras passaram. E nesse novo início dessa nova etapa, as águas se condensam de novo. E o vento as levam para outros campos. Campinas diferentes. Estou até vendo a cidade com outros olhos agora. Parece que a evolução está acontecendo, ou, como diria um professor de história meu (O Cruel), Revolução. Revolucionei em muitas áreas da minha vida. Emprego (estou trabalhando com uma coisa que eu sou apaixonado, cervejas especiais), escrita (tendo oportunidades maravilhosas nesta área, até uma escritora me convidou pra escrever um livro com ela), família (as coisas tomaram uma medida ótima de relacionamentos), igreja (estou numa igreja totalmente antirreligiosa, Mega Vida Church, e meu pastor é uma fera de gente boa)...

Hoje eu agradeço e muito pelo 7/7/95. Já não é mais uma data de medos. e sim de mudanças bastantes significativas.

Estou IN LOVE pela vida e por Deus! Também pelas pessoas!

Sei que preciso estar junto. Decidindo por mim, mas convivendo.


São tantas as pequenas coisas grandes que me acontecem que eu só tenho a agradecer a Deus primeiramente e a todos por serem quem são. Buscando todos nós juntos por um propósito maior: amar sempre!


Há: braços e pernas, beijos e vertigens, flores e merda!

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Canta para mim qualquer coisa assim sobre você!


A vida e aquela caixinha de surpresas. Preguei uma ontem em uma pessoa muito especial. Fui visitá-la na faculdade! Altas tensões com a visita! Uma vontade louca de pular, abraçar e beijar que vou falar pra você, foi difícil se segurar... Mas as situações exisgiram... O bom e velho medo do outro me segurou. Falo do outro porque o meu mesmo nem sei se tenho mais... Acho que não. Sou quase que uma borboleta pousando de flor em flor... de um mesmo jardim secreto... E em tantas flores achei uma outra borboleta por quem me apaixonei. Ela me fala coisas lindas sobre ela. Tem uma vergonha que não é dela. Então. precisamos do nosso jardim secreto. Canto que é de canto que eu vou cantar Seja onde for, quero cantar canções belas de inverno primavera verão e outono. No meu jardim tem muitas flores! Cada uma abre numa estação diferente. Quero levar você a conhecer todas as flores que possuo. Porque de fato, não são minhas! Mas suas!

Há: flores e borboletas!

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Viajem, com jota mesmo

Que eles viajem pra bem longe de todos! Assim seria uma frase dita por qualquer um deles ou de nós num momento de grande irritação! Mas quem vive só de flores num é mesmo, ou melhor, quem toma só as belgas e se opõe às alemãs? Wherever. Que se viajem mesmo! Que deem voltas dentro e em torno de si mesmos e se analisem! Partindo daquela observação, porque falar em pressuposto exige conhecimento maior, que as pessoas são seres pensantes, e então, conseguem analisar um texto, seja ele qual for, deveriam começar a olhar mais pra caneta, pra tinta! Sim: para si mesmo! Mas parece que dói. Ou melhor, que elas já conhecem a tinta! Descobri que a cerveja pega gosto de whyski se colocada no tonel dele. Assim também nós! As vezes fazemos nossos textos, ou nossas cervejas, achando que estamos liberando um líquido segundo a lei de pureza.Bahn! Na verdade, fazemos uma cerveja sim! Falamos um texto! mas de uma outra maneira! As leis existem para se quebrar e se corromper. Assim somos nós: LIVRES! Produzindo cervejas-whyskisadas! O tempo todo! E só vamos saber o gosto de nossa tinta depois que provarem!

Há: tintas maltadas!

terça-feira, 1 de junho de 2010

Cer veja só como são as coisas...




Olás e olás!


Depois de meses sem escrever, aqui estou eu retornando de cara nova, de interior renovado! Feliz em suma! E olha que essa palavra não é a suma de nada, já que felicidade é uma coisa que se conquista! E é enorme quando se a tem! Bom, estou trabalhando numa nova área interessantíssima! Senhoras e senhoras: CERVEJA! Do mundo todo! Brasileiras também (apenas algumas artesanais). Estou apaixonado por tudo! Pela empresa! Pelo produto! Pelo líquido! Meu, é tudo muito perfeito! Mr Beer! Cervejas lindas, gostosas, interessantíssimas! Trabalho direto com os proprietários! Sensacional! Deus é sempre maravilhoso em minha vida! Trabalho novo! Amor novo! E não é porque se trata de algo novo que se é algo passageiro! Nem Deus o é, nem o trabalho, nem meu amor! Ai, ai, ai! O romantismo na minha vida! As coisas se encaixaram de uma forma perfeita! Deus é mega mesmo! Estou em uma igreja nova, meu pastor é 1.000, as pessoas são também! E pessoas são pessoas! Eu busco tudo direto com Deus! Eu também sou pessoa, sei disso! E o que Ele quer me falar, Ele me fala! Estou abençoadíssimo! por tudo o que tens feito, por tudo o que vais fazer, por tuas promessas e tudo o que és, eu quero te agradecer com todo o meu ser... te agradeço meu SENHOR!


Há: lutas, mas vitórias sempre!
Ocorreu um erro neste gadget

Lugares' Places